junho 2017

O CONSUMO E A FELICIDADE: #escolha ser feliz!

O CONSUMO E A FELICIDADE: #escolha ser feliz!

4 minutos Por que será que estamos sempre tentados a consumir? Compramos coisas que nunca usamos, compramos coisas que não podemos pagar, compramos coisas que já temos, compramos coisas para impressionar quem nem gostamos, compramos e  compramos. Mesmo quando temos conhecimento de que estamos “atolados’ em dívidas, não raro continuamos a consumir. Esse comportamento é natural? Eu diria que esse comportamento é muito mais comum do que possamos imaginar. Mas, ninguém nasce com essa “necessidade”, isso não!   Para Entender um Pouquinho o Que Continue lendo

Como Escolher O Melhor Investimento: #Selic em queda

Como Escolher O Melhor Investimento: #Selic em queda

6 minutos A queda da taxa Selic que atualmente está em 10,25% e com expectativa  de continuidade de redução para 8,5% até final do ano, tem tornado mais difícil retornos em investimentos de baixo risco. A redução da Selic está vinculada à queda da inflação que no ano acumula alta até maio de 1,42% (IPCA),com expectativa 3,8% para o ano. Em 2016 o índice IPCA acumulado foi de 6,29% e a Selic 14,18%, ou seja, juro real (acima da inflação) de 7,43%.   É Continue lendo

Este é o momento para investir em imóvel? #meu sonho minha casa

Este é o momento para investir em imóvel? #meu sonho minha casa

4 minutos O maior sonho de todo brasileiro, depois do carro é comprar seu próprio imóvel. Se você se enquadra na categoria dos que estão avaliando a compra de um imóvel para moradia, então você não está pensando em investimento. O imóvel para moradia, não é considerado como um investimento. “Como assim”?  Veja, se houver desvalorização do imóvel, mas você  tem conforto, se sente bem no seu lar, temsegurança, isso fará diferença para você? Se ocorrer o contrário, e o imóvel se valorizar, a Continue lendo

Seja Feliz: Quite Suas Dívidas em #05 Passos

Seja Feliz: Quite Suas Dívidas em #05 Passos

7 minutos Estar endividado não é um problema! Isso mesmo, mas desde que  não comprometa seu orçamento.  Os especialistas recomendam que as parcelas, não ultrapassem mais do que 30% de sua renda mensal. A questão é tomar crédito somente de forma consciente, com responsabilidade, e principalmente para o que realmente agregue valor à sua vida. Mas muito cuidado para  evitar o ciclo de endividamento. Ele pode leva-lo  à decadência financeira. Além disso, é sempre melhor receber juros por aplicar dinheiro, do que pagar juros Continue lendo