Educação Financeira e Finanças Pessoais: #o que isso tem a ver comigo?

Essa coisa de finanças, parece um pouco complicado, não é mesmo? Será que Educação Financeira e Finanças Pessoais é a mesma coisa? O que isso tem a ver comigo ?

Vamos lá, acompanhe:

1- Você controla seus gastos porque todo mês faz uma planilha ou anota em um caderno o que ganha e o que gasta. Você sabe quanto deve para o cartão de crédito, quanto é a prestação do carro, tem uma ideia de quanto são os gastos fixos da casa e com a educação. No final do mês às vezes sobra uma “graninha”  e você aproveita para gastar com coisas legais. Podemos dizer que você está equilibrado.

2- Ou você faz tudo isso, mas está numa situação mais confortável, pois tem uma poupança, está guardando, retendo dinheiro. Não sabe bem para que, mas tá guardando… Então diria que você é investidor.

3- Você ainda pode estar “embananado”, pois até fazia esses controles, mas se perdeu com tantas contas para pagar , tá na corda bamba sem conseguir se equilibrar.  Aqui você está endividado ou até inadimplente.

Se identificou com algum dos casos ? Você se acha educado financeiramente?

Você pode estar pensando:  “Eu sou educado financeiramente porque controlo minhas finanças pessoais  tendo ou não dinheiro guardado. Afinal tudo está ali anotado, controlado. Os endividados ou as pessoas que não sabem fazer esses cálculos é quem não tem educação financeira!”

Será ?

 

Um pequeno comentário…os discos de vinil tinham o lado A e o lado B. Pode ser que você nunca tenha visto um, né ? Na dúvida rsrsrsrs

 

          Falando só um pouquinho do Sistema Financeiro

O lado A

Você já parou para pensar que a cada dia, temos mais informações nos bombardeando, e que isso não é diferente no sistema financeiro? Hoje ele é muito mais complexo do que num passado não tão longe.  A facilidade de acesso ao crédito nas suas diversas modalidades, com inúmeros serviços e produtos financeiros que  sequer conhecemos surgem a todo instante. São vários tipos de crédito, seguros, investimentos, cartões,  há ofertas pra tudo que é lado.

A estabilidade da economia trouxe a possibilidade da inclusão de pessoas antes fora do sistema financeiro,  e ampliou o poder de compra da população de maneira geral. O que é muito bom! Muitas famílias puderam comprar seu primeiro refrigerador, sua máquina de lavar roupas, ou mesmo abrir uma conta em banco. É a chamada bancarização da população.

 

O Lado B

Mas, também tem o outro lado que não é nada legal! Muitos se endividaram com tantas opções disponíveis de crédito e ofertas de marketing sedutor… é dia das mães, dia dos pais, namorados, páscoa, natal, e por ai vai. Muitos deixaram se levar e acabaram comprando sem planejamento, por impulso.

Só para ter uma ideia,  em abril de 2017 o percentual de endividamento das famílias foi de 58,9% segundo a CNC – Confederação Nacional do Comércio.

Fonte: Valor Econômico

 


 

 Afinal, Educação Financeira = Finanças Pessoais?

 

Percebe que além de anotar as receitas e despesas, você precisa ir além em seus conhecimentos? Sentiu que mesmo se informando, você precisa lidar  com um lado, digamos  mais subjetivo, mais íntimo  na sua relação com o dinheiro?

Finanças  Pessoais  diz respeito ao controle, a cálculos matemáticos, é o ato de  você fazer a anotação das entradas e saídas do dinheiro,  seja em planilhas ou em um simples caderno. Para isso basta a pessoa conhecer as operações matemáticas básicas. Sendo assim pode-se dizer que Finanças Pessoais é uma  ciência exata.

Educação Financeira vai além do controle. Envolve mais do que informação e cálculo. Educação Financeira lida com comportamento, mexe com o emocional, com o psicológico. Propõe mudança de hábitos de consumo, na forma como lidar com o dinheiro, esteja você na condição de investidor, equilibrado ou endividado. Portanto Educação Financeira é uma ciência humana.

E mais, Educação Financeira  tem várias etapas. Uma delas trata dos  sonhos, e eles  devem ser priorizados. Literalmente devem estar escritos, com previsão para serem alcançados no curto, médio e longo prazo. Você precisa ter uma motivação, uma mola que te impulsione, caso contrário passará a vida correndo atrás do dinheiro, e sem sonhos.

Finanças pessoais nesse contexto,  faz parte do processo como uma ferramenta de gestão,  utilizada na Educação Financeira.

 

Conclusão

“A vida é feita de escolhas, sejam elas conscientes ou inconscientes, e mais  pelo simples fato de não escolher, você já está fazendo uma escolha”.

Adquirir conhecimento básico sobre o sistema financeiro, estar esperto quanto  as  “artimanhas” de vendas que despertam o desejo de ter,  é muito importante.

Tenha equilíbrio entre emoção e razão. Foque no ser e não no ter.

Sonhos, não acontecem por mágica, ao acaso. Através da  Educação Financeira  você certamente poderá realiza-los.

Isso TUDO tem a ver com você? Pense nisso.

 

FIQUE BEM !

Se gostou não esquece de curtir! Deixe seu comentário, sua dúvida. 
Ficarei muito feliz em responder!


Se quiser  saber mais  recomendo :

Curso de Educação Financeira

Como Ser Independente Financeiramente

Destrave Seu Cérebro: 7 passos  para atingir seu plano de vida


Ana Pacheco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *