Estou Endividado ou Inadimplente ? #5 Passos Para Quitar Dívidas.

 

Os  termos endividado e inadimplente são geralmente utilizados como sinônimos. Os conceitos podem parecer iguais, mas endividado e inadimplente são situações distintas  na qual o devedor pode se encontrar.

Quando você usa seu cartão de crédito, faz um empréstimo, um financiamento de veículo, financiamento de um imóvel , ou  tem um boleto de crediário para pagar,  você possui endividamento. Nessa situação, você tem parcelas  que normalmente são pagas nos vencimentos, portanto você não tem problemas financeiros de caixa, pois tem dinheiro para honrar seus compromissos. As coisas estão sob controle, do ponto de vista da sua pontualidade.

SITUAÇÃO DE INADIMPLENTE

Se você  deixa de pagar no vencimento, você passa para a situação de inadimplente.  O prazo para considera-lo inadimplente varia conforme o credor (para quem você deve). De maneira geral o  mercado considera inadimplência  após 90 dias de atraso, mas isso não é regra.

DE ENDIVIDADO A INADIMPLENTE

Sabemos que mesmo havendo boa fé do endividado em pagar suas contas, muitas vezes a situação  foge do controle, seja porque ocorreu  algum contra tempo com gastos extras necessários, gastos  por problemas de saúde, perda de emprego,  ou porque realmente superestimou sua renda versus gastos. Por isso, nunca conte com a sorte ! A crítica situação evidencia que faltou Educação Financeira. Faltou planejamento. Outro ponto é que se o endividamento é inevitável, recomenda-se comprometer  no máximo 30% da sua renda líquida.

Se você tivesse realizado um planejamento poderia ter  usado a  regrinha 15%, 35%, 50%  para passar de endividado a investidor, e estaria bem mais confortável. Busque  essa meta no futuro.

Leia o Post: http://dinheiroeduca.com/socorro-estou-endividado-formula-para-ficar-rico/

#5 PASSOS PARA QUITAR SUAS DÍVIDAS

1- LEVANTAMENTO DAS DÍVIDAS

Constatada a  situação de inadimplência  parta para a ação fazendo um levantamento de tudo  que você deve: valor das parcelas, saldo devedor, prazo da operação, taxas contratadas. Identifique quais são suas despesas fixas (aquelas que mesmo tendo ou não valor fixo, ocorrem todos os meses)  e quais são supérfluas. Estas deverão ser eliminadas. Já as despesas fixas, tente reduzi-las ao máximo.

2- ORÇAMENTO FUTURO

Parta para o orçamento , ou seja faça planejamento  anotando os valores líquidos que entrarão  e que sairão nos próximos meses na sua conta. Utilize uma planilha de excel ou anote em um caderno, como você achar mais fácil. Sabendo quanto sobrará em seu bolso, pesquise sobre a possibilidade de renegociar suas dívidas, aumentando o prazo se necessário e claro diminuindo o valor das parcelas de maneira que caiba no seu bolso. De nada adianta você ter todo esse empenho e não conseguir honrar com as parcelas do acordo e continuar atrasando.

3- O QUE PAGAR PRIMEIRO

Procure resolver primeiro as dívidas mais caras como cheque especial e cartão de crédito. Ao planejar os pagamentos dê prioridade  as contas essenciais que correm risco de terem os serviços cortados como água , luz, convênio médico, outras. Ao analisar as prioridades pense no emocional, no impacto que terá o não pagamento se houver por exemplo uma dívida com um parente ou amigo,  tente resolver da melhor forma possível. Fique atento aos empréstimo que eventualmente você tenha adquirido com garantia de veículo por exemplo, o credor (Banco, Financeira) poderá apreender o bem para liquidar a dívida. Pode não sobrar nada para você,   mesmo que o veículo valha mais (os contratos são leoninos!), ou pior ficar sem o bem e ainda continuar devendo alguma coisa.

4- RENEGOCIANDO COM OS BANCOS

Procure renegociar com taxas sempre inferiores as contratadas inicialmente.  Na situação de inadimplente os Bancos normalmente podem ofertar linhas de crédito com taxas menores. Eles não tem interesse em tomar seus bens, querem é receber o dinheiro… Mesmo que uma renegociação implique em cancelar seus limites junto aos Bancos (e isso será bom para seu planejamento não sair da previsão), taxas menores com prazos mais longos são obviamente o melhor para você.   Em último caso, dê como garantia um bem como veículo. Este tipo de linha de crédito chamada de  Empréstimo com Garantia Real, costuma ter  taxas muito melhores, contudo analise primeiro a oferta do Banco para Renegociação de Dívida. Só depois se for o caso,  proponha com garantia.  Compare!

5-OUTRAS POSSIBILIDADES DE QUITAR AS DÍVIDAS

Você também pode pensar se há como aumentar a renda fazendo trabalhos extras por exemplo. Como última   análise, avalie a possibilidade de venda de algum bem (se tiver) que possa sanar de vez sua situação de inadimplente. Eventualmente a venda será melhor do que fazer um empréstimo dando o bem como garantia, e dependendo você ainda pode ficar com dinheiro no bolso para começar a construir suas reservas.

Conclusão:

Uma fase assim, desestabiliza todos ao seu redor. Melhor você dormir tranquilo, ter saúde e paz na família. Passado esse ciclo , você poderá começar a estabelecer planos, sonhos e mudar de devedor para investidor. Educação Financeira  é a base para a sua Liberdade Financeira. 

 

 

 

Ana Pacheco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *