Pensando em Empreender, ou Quitar Dívidas? #Conheça as Fintechs

Altamente inovadoras, as Fintechs estão crescendo no Brasil.  A Nubank é uma das mais conhecidas, mas exitem várias  como Neon, Youse, Vérios, Bidú, Conta Azul, Moip, outras.

“Fintech designa o segmento das startups (empresas que criam modelos de negócio

altamente escaláveis, a baixos custos e a partir de ideias inovadoras)  que desenvolvem  inovações na área de serviços financeiros, com processos baseados em tecnologia”.

A Accenture responsável pela origem do termo definiu Fintech como   “novas soluções tecnológicas para o mercado financeiro  que resolvem uma dor ou experiência do usuário”.

A ideia  principal é tornar transações financeiras mais eficientes, principalmente através da redução de intermediários e custos e da automação de análises.

Essa nova forma de lidar com o dinheiro de maneira mais rápida, mais transparente e mais barata, está alterando o modo das pessoas pagarem as compras, administrarem contas, investirem seu dinheiro e contratarem empréstimos.

Segundo Renan da Costa Rego, gerente de aceleração da Artemísia, cerca de 40% dos brasileiros ainda não têm acesso a serviços financeiros em geral.




 

 

FINTECHS VERSUS BANCOS

O setor bancário é um dos que mais lucram no Brasil e no mundo.

Mundialmente o  lucro dos bancos  já chegou próximo à barreira do 1 trilhão de dólares: segundo levantamento da revista The Banker.

Especialistas são unânimes em dizer que o avanço das fintechs melhora o serviço oferecido ao consumidor, tanto em preço quanto em eficiência.

Os bancos obviamente estão observando esse movimento e buscando se modernizar.

Muitos bancos têm se associado às fintechs e a tendência é que isso traga soluções mais transparentes para eles. Conforme empreendedores da área,  o movimento mais importante acontece na outra ponta  a do usuário que passa a ter mais ferramentas para não ser enganado, e principalmente a possibilidade  da inclusão   de milhões de brasileiros que hoje nem sequer têm uma conta bancária.

No início essas startups chegaram com um discurso de enfrentamento aos bancos. No entanto hoje elas acreditam que precisam dessas instituições, por questões de regulamentação –  que no Brasil são muito rígidas -,  de passar credibilidade, ganhar experiência e receber investimentos.

“Hoje não faz sentido enxergar como ameaça, porque um depende do outro. É como se a fintech fosse uma lancha e o banco fosse um Titanic: grande, leva muita gente, só que é difícil de manobrar. A lancha é mais rápida”.

O programa InovaBra, do Bradesco, por exemplo, promove desde 2014 a interação do banco com startups que tenham potencial de desenvolver modelos de negócios e produtos relacionados a serviços financeiros.

Já o  Itaú lançou , em parceria com empresa de capital de risco a  Redpoint e.ventures, um espaço de coworking na zona sul de São Paulo chamado Cubo. Ele comporta até 50 startups, não fintech, para oferecer conteúdo a quem tiver  interesse em empreendedorismo. 

 


ALTERNATIVA DE EMPRÉSTIMOS MAIS BARATOS 

Para os que estão precisando de uma mãozinha, as Fintechs podem ser o caminho

para obtenção de dinheiro mais barato, do que os empréstimos ofertados em Bancos.

As Fintechs, tem vários modelos de negócios, dentre eles os que se dedicam a unir
investidores a tomadores de crédito.

Peer-to-peer lending-  Um modelo de Investimento coletivo

PEGN – Pequenas Empresas Grandes Negócios apresentou em seu programa neste domingo, dia 30 de abril,   como as Fintechs,  ajudam empresas que precisam de capital para crescer.

O caso apresentado  foi a Fintech Nexoos, startup que facilita empréstimos para pequenas e médias empresas financiados diretamente por pessoas (conhecido como “peer-to-peer lending”).

 

 

 

Assista ao vídeo: https://youtu.be/kf3zeCsx-TA

Sobre peer-to-peer lending : ihttps://blog.biva.com.br/empreendedor/peer-to-peer-lending-o-que-e-isso/

 

Também existem Fintechs direcionadas para crédito à Pessoa Física.   

Geru, GuiaBolso e QueroQuitar são exemplos de Startups quee atuam  focadas na relação das pessoas  com as dívidas.

 

assista ao vídeo : https://www.youtube.com/watch?v=p4IKS1jDLjM

 

 


Conclusão: 

As Fintechs estão revolucionando o modo como nos comunicamos com o mundo financeiro. Para nós consumidores o benefício é enorme. Sem falar nas portas que se abrem para alavancar o empreendedorismo.

Se precisa impulsionar seu negócio, colocar sua vida financeira em dia, controlar seus gastos, entre tantas outras possibilidades, as Fintechs podem te ajudar.

Num mercado tão concentrado quanto o financeiro,  não há dúvidas de que o “olhar atento” dos órgãos responsáveis quanto a legalidade das operações deixa o consumidor mais tranquilo. No entanto, a  regulamentação para o setor é essencial para “destravar”esse segmento,  possibilitando a  criação  de mais e mais Fintechs.

Não há dúvidas que estamos dando um grande salto, em especial porque as Fintechs promovem a inclusão de uma grande massa da população brasileira à serviços antes inacessíveis.

A Educação Financeira é o melhor caminho  para a sua liberdade financeira.

 

Fique Bem !

Se gostou não esquece de curtir ! Deixe seu comentário, ele é muito bem vindo !

 

 

 

 

Ana Pacheco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *