Seja Feliz: Quite Suas Dívidas em #05 Passos

Tempo de leitura: 7 minutos

Estar endividado não é um problema! Isso mesmo, mas desde que  não comprometa seu orçamento.  Os especialistas recomendam que as parcelas, não ultrapassem mais do que 30% de sua renda mensal.

A questão é tomar crédito somente de forma consciente, com responsabilidade, e principalmente para o que realmente agregue valor à sua vida. Mas muito cuidado para  evitar o ciclo de endividamento. Ele pode leva-lo  à decadência financeira. Além disso, é sempre melhor receber juros por aplicar dinheiro, do que pagar juros por tomar dinheiro emprestado, não é mesmo?

Acesse Aqui – Infográfico  Nele você terá o passo a passo resumido.

Continue lendo   

SITUAÇÃO DE INADIMPLENTE

Se você  não está conseguindo pagar suas contas no vencimento, os credores estão te ligando, as contas cada vez mais se acumulam, você realmente está inadimplente.

 A situação fugiu do controle, você se sente triste, sem ânimo, não sabe o que fazer? Calma que tem jeito !

 

O CICLO DE ENDIVIDADO A INADIMPLENTE

Sabemos que mesmo havendo boa fé do endividado em pagar suas contas, muitas vezes a situação  foge do controle, seja porque ocorreu  algum contra tempo com gastos extras, gastos por problemas de saúde, perda de emprego,  ou porque realmente superestimou sua renda versus gastos. Não se sinta mal ou culpado! Não desanime, saiba que  você não é o único a passar por isso. A crítica situação evidencia que faltou Educação Financeira, e isso infelizmente não lhe  ensinaram  na escola.  Bom é saber que você pode sair dessa situação, e mudar de vez esse quadro!!!

Bora lá ! 

 

 

#5 PASSOS PARA QUITAR SUAS DÍVIDAS

 

DIAGNÓSTICO - fase I: LEVANTAMENTO DAS DÍVIDAS

Constatada a  situação de inadimplência  parta para a ação fazendo um levantamento de tudo  que você deve para bancos, financeiras, cheques, boletos,  cartões de crédito.Verifique o que está vencido e a vencer: valor das parcelas, saldo devedor, prazo da operação, taxas contratadas.  Você também deve relacionar o que está vencido como água , luz, escola, telefone, outros.

Identifique quais são suas despesas fixas  (aquelas que mesmo não tendo valor fixo, ocorrem todos os meses), verifique quais são essenciais e quais são supérfluas. Você deverá eliminar o que é supérfluo e reduzir o máximo possível as consideradas essenciais.

Dê uma olhada no seu extrato bancário, fatura do cartão de crédito e  tente identificar  onde você está gastando. Nesse momento, isso poderá te dar uma ideia  para qual “ralo” seu dinheiro tem escoado…

Identifique quais são as dívidas de valor como financiamento de imóvel, veículo, e as dívidas sem valor que são aquelas que não aumentam seu patrimônio ou que nada agregam realmente à sua vida.

 

2- fase II: ORÇAMENTO

Parta para o orçamento , ou seja faça planejamento  anotando os valores líquidos (não a renda bruta)  que entrarão  e o que sairá nos próximos meses da sua conta. Utilize uma planilha de excel ou anote em um caderno, como você achar mais fácil. Sabendo quanto sobrará em seu bolso, pesquise sobre a possibilidade de negociar ou renegociar suas dívidas, aumentando o prazo o máximo possível, e claro diminuindo o valor das parcelas de maneira que caiba no seu bolso. De nada adianta você ter todo esse empenho e não conseguir honrar com as parcelas do acordo e continuar atrasando. Isso poderá se tornar uma “bola de neve”.

 

3- fase III: O QUE PAGAR PRIMEIRO

Procure resolver primeiro as dívidas mais caras como cheque especial e cartão de crédito. Mas, atenção!  Ao planejar os pagamentos dê prioridade  as contas essenciais que correm risco de terem os serviços cortados como água , luz, convênio médico, outras. Ao analisar as prioridades pense no emocional, no impacto que terá o não pagamento se houver por exemplo uma dívida com um parente ou amigo,  tente resolver da melhor forma possível. Fique atento as dívidas de valor.  O credor (Banco, Financeira) poderá apreender o bem para liquidar a dívida.

 

4- fase IV: RENEGOCIANDO COM OS BANCOS

Nunca tenha vergonha!  É sua tranquilidade que está em jogo. Você quer pagar, o Banco quer receber. Procure renegociar com taxas sempre inferiores as contratadas inicialmente.  Na situação de inadimplente os Bancos normalmente podem ofertar linhas de crédito com taxas menores.  Eles não tem interesse em tomar seus bens, querem é receber o dinheiro… Mesmo que uma negociação  implique em cancelar seus limites junto aos Bancos (e isso será bom para seu planejamento não sair da previsão), taxas menores com prazos mais longos são obviamente o melhor para você.

Em último caso e sendo possível, dê como garantia um bem como veículo. Este tipo de linha de crédito chamada de  Empréstimo com Garantia Real, costuma ter  taxas muito melhores, contudo analise primeiro a oferta do Banco para a negociação da dívida. Só depois ,se for o caso, e em último caso mesmo,  proponha a garantia.  Também pode haver a possibilidade de empréstimo consignado.. Tenha certeza que você será capaz de honrar o acordo.  Compare as ofertas cuidadosamente. Trocar uma dívida sem garantia por outra com garantia, deve valer muito a pena para você.

Não havendo possibilidade de acordo entre as partes, você deverá se planejar para mensalmente poupar com disciplina o valor destinado para quitação da dívida. Após um certo período, você já terá acumulado boa quantia para negociar o pagamento à vista, e terá a seu favor o fato de que a dívida provavelmente já estará em empresa de cobrança onde o “desconto” é significativo.

 

5 - OUTRAS POSSIBILIDADES DE QUITAR AS DÍVIDAS

Você também pode pensar se há como aumentar a renda fazendo trabalhos extras. Poderá vender algo que você comprou e não usa como aparelhos de ginástica, roupas, e tantas outras coisas que nem lembramos que temos. Se você tiver alguma habilidade, algo que as pessoas sempre elogiam quando faz, pode usar as horas vagas e começar a vender. Você poderá até descobrir uma nova profissão ! Mas, saiba que o segredo para sair das dívidas não é ganhar mais dinheiro, sabemos que isso ajuda, contudo a “chave” é você mudar o seu comportamento ao lidar com a renda que já possui.

Como última  análise, se tiver algum bem,  avalie a possibilidade de venda que possa sanar de vez sua situação de inadimplente. Eventualmente a venda será melhor do que fazer outro empréstimo dando o bem como garantia, e dependendo você ainda pode ficar com dinheiro no bolso para começar a construir suas reservas, e realizar seus sonhos de forma planejada.

 

Conclusão:

Na metodologia Dsop de Educação Financeira, é utilizado o Livro de Apontamento de Despesas . Nele  todos os gastos diários, desde o valor pago por uma bala, gorjetas, café, até os maiores deverão ser lançados no  momento em que o gasto ocorrer. Tudo deverá ser anotado por um período de 30 dias para quem possui renda mensal fixa e por 90 dias  para quem possui renda variável.

O livro de apontamentos é indicado para qualquer perfil financeiro desde endividado, equilibrado ou até mesmo investidor. Ele é um grande aliado para que você possa identificar  exatamente para onde está indo seu dinheiro.  O fato de anotar diariamente, exerce  um poder positivo incrível na forma de você lidar com o dinheiro.

É certo que uma fase de desequilíbrio financeiro,  afeta todos ao seu redor. Passado esse ciclo , você poderá começar a estabelecer  metas, seus sonhos e da família:  de curto, médio e longo prazo. Para que você obtenha exito é muito importante que a família tenha conhecimento da situação atual , e participe do processo de mudança comportamental com você.

Você sairá de devedor para investidor tendo os juros trabalhando para você, e não o contrário.

Tomará impulso,  se reerguerá, e terá controle da sua vida financeira.

Tenha em mente que sair das dívidas será apenas seu primeiro sonho que será alcançado.

Fique bem !

Educação Financeira  é o caminho para sua  Liberdade Financeira. 

Se gostou , não esquece de curtir! Seu comentário é muito bem vindo ! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *